21 de julho de 2024

Roberto de Lucena agraciado com a Medalha de Honra ao Mérito Dom Ives Gandra da Silva Martins

Em um evento solene na Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP), nesta segunda-feira (5.fev.2024), o Secretário de Turismo e Viagens do Estado de São Paulo, Roberto de Lucena, foi homenageado com a Medalha de Honra ao Mérito Dom Ives Gandra da Silva Martins. A cerimônia, organizada pela Academia William Shakespeare, contou com a presença de autoridades como Dom Antônio, Antônio Ramalho, Presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de São Paulo (Sintracon-SP), e o Senador Marcos Pontes.

A medalha, outorgada pela Academia William Shakespeare, é um reconhecimento de grande prestígio no cenário cultural e educacional. Ela homenageia personalidades que se destacam por suas contribuições significativas em suas respectivas áreas. O nome da medalha faz referência a Ives Gandra da Silva Martins, um renomado jurista, advogado, professor e escritor brasileiro, conhecido por sua participação na elaboração da Constituição Federal de 1988.

Roberto de Lucena, ao receber a medalha, expressou sua emoção e gratidão. “Emocionante para mim, uma elevada honra, receber tão nobre distinção que leva o nome do nosso mestre Ives Gandra da Silva, um dos maiores juristas do Brasil em todos os tempos, advogado que tem o respeito de todo o país e que estava presente a essa solenidade. Obrigado aos dirigentes da Academia William Shakespeare e parabéns aos demais homenageados”, afirmou Roberto de Lucena. 

 

Ronaldo Nóbrega, colunista do "Poder em Foco", experiência de mais de 25 anos como jornalista e memorialista. Em sua trajetória profissional, atuou como consultor no TSE por 12 anos, representando um partido político. Entre suas contribuições, destaca-se a Consulta 1.185/2005, que questionou a aplicabilidade da Regra da Verticalização. Esse questionamento iniciou um intenso debate entre o Judiciário e o Congresso Nacional, culminando na Emenda Constitucional nº 52/2006. A emenda proporcionou maior autonomia aos partidos políticos ao eliminar a obrigatoriedade de vinculação entre as candidaturas. Sua influência nesse debate é reconhecida e mencionada na 27ª edição da obra "Direito Constitucional Esquematizado", escrita por Pedro Lenza e publicada pela Editora Saraiva em 2023.