EXPRESSO

Fala de Simonetti no STF endossa argumentos de Pitaluga contra abuso de autoridade

Da redação com informações OAB-TO (com adaptações). - 06/02/2024
 

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Beto Simonetti, fez um discurso contundente na sessão Abertura do Ano Judiciário no Supremo Tribunal Federal, na última quinta-feira (01.fev.2024), contra o abuso de autoridades no país e garantiu que a OAB responderá com altivez os casos em que a atuação profissional de advogados e advogadas for violada.

“Estaremos vigilantes e sempre prontos a responder com altivez os casos em que a atuação profissional for cerceada. Seja por abusos, seja pelo barulho cego das redes sociais. Nenhum advogado pode ser constrangido por representar quem quer que seja. É necessário defender o cidadão com empenho e presteza. Ainda que o delito imputado contrarie a visão de mundo do próprio advogado”, destacou Simonetti.

O presidente da OAB ainda pontuou que ataques à advocacia são ataques aos cidadãos. “Os abusos de autoridades são inaceitáveis, tanto quanto à prática de qualquer violência contra a advocacia, pois na verdade, esta se dirige não à figura particular do advogado ou da advogada, mas sim à mulher e ao homem que eles representam em qualquer tribunal”, concluiu o presidente.

Em seu pronunciamento, Simonetti também destacou os ataques recebidos pela advocacia em todo o país, citando o caso da advogada potiguar, Brenda dos Santos de Oliveira, assassinada durante exercício profissional.

“Daqui já relatei inúmeros casos de violências contra a advocacia em todo o país. Advogados que pagam com suas próprias vidas pelo mister que exercem. E é lamentável que não foi diferente com a jovem advogada Brenda dos Santos de Oliveira, brutalmente assassinada em pleno exercício da advocacia, no Rio Grande do Norte, no último dia 30. E é em memória da colega Brenda que a advocacia brasileira presta homenagem pública nesta solenidade”, relembrou o presidente da OAB Nacional.

Unidade de discurso da OAB

O discurso realizado pelo presidente da OAB Nacional vai ao encontro do que foi proferido pelo presidente da OAB Tocantins, Gedeon Pitaluga (foto), também  quinta-feira (01), na Sessão de Abertura do Ano do Judiciário do Tocantins.

Em sua fala, Gedeon conclamou a desembargadores, juízes, promotores e delegados o respeito por advogados e advogados tocantinenses.

“Não há Justiça sem advogados e advogadas. Mas para aqueles que insistem assim em não entender, a OABTO e a advocacia tocantinense vêm afirmar que não se curvarão diante dos abusos de autoridades e da generalização indiscriminada adotada contra a classe! E a OABTO, independente, como se espera e exige-se que seja, não admite que crimes contra a advocacia sejam o instrumento de atuação de autoridades, seja lá qual for a intenção ou a sua motivação: política, institucional, empatia ou antipatia pessoal, de cunho classista-eleitoral ou partidária. A advocacia tocantinense não é menor, não é menos importante, nem menos digna ou menos competente que nenhum delegado, promotor ou juiz no Tocantins”, discursou o presidente.

 

Palmas sedia o 2° Congresso Brasileiro de Inovação Empresarial e Gestão Inteligente