Poder Judiciário

Desembargador de SC pede exoneração. Saída vai abrir vaga para membros do Quinto Constitucional

Da redação com informações do TJSC. - terça, 13 de abril de 2021
 

Com a consciência tranquila por ter bem representado a categoria dos advogados na Corte estadual, o desembargador Ronei Danielli solicitou e teve atendido pedido de exoneração do cargo, oficializada após publicação do ato no Diário da Justiça Eletrônico (DJe) da última sexta-feira (9/4). Empossado em 2011, foram 10 anos de atuação no Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC). "Já era hora de proporcionar a outros membros do Quinto a oportunidade de servir à Justiça catarinense", avaliou. 

Em 129 anos de história do TJSC, esta é a primeira vez que um desembargador é exonerado a pedido. Originário do Quinto Constitucional, em vaga preenchida por integrante da seccional catarinense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SC), o magistrado Ronei Danielli chegou ao Judiciário aos 36 anos de idade.

O presidente do PJSC, desembargador Ricardo Roesler, assinou o ato do Gabinete da Presidência n. 391, que exonerou a pedido o magistrado do cargo de desembargador. Em uma década no Judiciário catarinense, Danielli atuou na 1ª Câmara Civil, 6ª Câmara Civil, Grupo de Câmaras de Direito Civil, 3ª Câmara de Direito Público, Grupo de Câmaras de Direito Público, Órgão Especial e Tribunal Pleno. Na condição de relator, prolatou 14.757 decisões.

Ronei Danielli destacou, ao se despedir, o privilégio de integrar a magistratura catarinense, uma das mais conceituadas do Brasil. "Como minha investidura como desembargador ocorreu quando eu tinha 36 anos, isso me permitiu prestar um bom serviço aos cidadãos catarinenses", garantiu. Ele agora pretende retomar sua carreira na advocacia, perspectiva que já se desenhava originalmente. Inclusive por isso, revela, reforçou sua dedicação e empenho no período para "contribuir em nome da advocacia catarinense com o aprimoramento do Poder Judiciário".