04 de Jun de 2019

A Nova Política!

Segundo dados econômicos o País mergulhou em um contundente fracasso desde a década de 80 até os nossos dias. 

O fim do regime militar, que notadamente assumiu um modelo de capitalismo de Estado na economia e uma agenda conservadora nos costumes e na cultura, inaugurou uma política de frente, onde o pensamento socialista passou a liderar os rumos dos 3 Poderes da República.

O discurso de distribuição de renda, da redução de desigualdades sociais e da inclusão das minorias dominou a mídia e ofereceu uma excelente oportunidade para que a ambição dos incompetentes, associada com a intelectualidade da delinquência, dominasse o cenário da política nacional.

Pouco a pouco uma verdadeira quadrilha se apoderou, em primeiro lugar, do Legislativo, e com a manobra da corrupção, se alastrou para dentro de várias áreas do Executivo, e até do Judiciário, incluindo sua mais alta Corte. 

O Brasil do Século XXI é marcado por absurdos na administração pública, o aparelhamento ideológico da mídia, da educação e da cultura, e a aliança de grande parte da política com o crime organizado.

Felizmente, o agro-negócio, mesmo sendo achacado, conseguiu índice de produtividade capaz de alimentar o País e preservar o mínimo de condições para viabilizar sua gestão, e não nos levar ao caos social. 

O mundo aqui não acabou numa Cuba ou Venezuela, porque há um remanescente que não se entregou, há paladinos na justiça, há parlamentares com decência, há funcionalismo que não se vende e há forças armadas que não se contaminaram. 

Só falta uma mídia que se levante, a favor dos fatos e da verdade. 
Na sua ausência, a comunicação digital permitiu a reação da sociedade, potencializou a voz da multidão emudecida, que, pode, por fim, gritar: chega de injustiça, chega de roubalheira, chega de conchavos e chega de esquerdismo retrógado!

O Governo JB não é a expressão de um Movimento Bolsonarista, mas a manifestação de uma sociedade roubada e atacada, com a conivência da imprensa tradicional, que prefere ser cega e vender-se por um “prato de lentilhas”, do que aderir a resposta histórica daqueles que se cansaram de apanhar calados.

Esta revolução pacífica, espera que a imprensa brasileira, tão eficiente em distorcer os fatos, faça sua penitência intelectual e se una a todos os que, movidos pelo ideal, sem “pães com mortadelas”, oferecem gratuitamente o seu tempo e recursos, para apoiar aquele que melhor representa esta mudança.

O Bolsonarismo não é de JB, mas de uma Pátria amada, que se recusou a ficar deitada em berço esplêndido, e, com ética, ordem e harmonia, une-se para enfrentar a velha política e implantar a nova!   

Fora corruptos! Chega!

Helcio B Almeida