Geral

‘General Rodrigo Rollemberg’ tenta censurar o Portal Metrópoles

Foto: Agência Brasília Foto: Agência Brasília
Da redação (Justiça em Foco), com Mário Benisti - segunda, 04 de junho de 2018
 

Em atitude traiçoeira, o governador do Distrito Federal Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) ordenou ser feita uma ação no último sábado (02) na Zona Central para retirar o painel digital que pertence ao Portal de notícias Metrópoles. Segundo o grupo de notícias, o aparelho estava instalado de maneira totalmente regular desde 6 de fevereiro deste ano.
 
Desde o dia de instalação o painel digital é usado pelo Grupo Metrópoles para a “divulgação de conteúdos de natureza publicitária, assim como para a veiculação de serviços e notícias”, diz o editorial. O equipamento foi instalado em frente ao local onde desabou parte do Eixão, no início deste ano.

Dentre as notícias divulgadas, estavam as relacionadas os problemas de serviços públicos de responsabilidade do Governo do Distrito Federal (GDF). Era impossível evitar matérias negativas sobre o governo Rollemberg.  

O grupo de comunicação alega que obteve todas as documentações necessárias para a implantação do painel e que a gestão do GDF tenta censurar o portal, atitude considerada autoritária para o Metrópoles. “Mas, muito embora o Metrópoles tenha conquistado todas as autorizações exigidas pelo poder público para garantir o funcionamento do veículo, o governador Rollemberg se insurgiu contra a empena digital ao notar a publicação de conteúdo que, eventualmente, fez críticas à sua gestão”, afirma o editorial.

Para retirar o material do Metrópoles, Rollemberg usou de todas as maneiras o seu poder de chefe do executivo local, impedindo que o Grupo de Comunicação apresentasse “todas as autorizações de funcionamento expedidas pelo próprio poder público”, ressalta o manifesto de Lilian Tahan, editora-chefe do Metrópoles. 

A comandante do Metrópoles afirma que Rollemberg tenta calar o grupo de comunicação. “O governador Rollemberg lançou mão de expediente antidemocrático, característico de regimes ditatoriais na tentativa de calar um veículo de comunicação que, desde a sua fundação, em setembro de 2015, adota postura de independência em relação ao Palácio do Buriti”, declara Lilian Tahan.

Para o grupo, Rollemberg tenta usar a máquina pública para coibir todos os veículos de comunicação que atuam na tentativa de enriquecer o debate sobre a atuação política, pois segundo o Metrópoles, “o painel funcionou normalmente, divulgando informações dos mais variados interesses, até a publicação de conteúdo mais crítico à gestão de Rollemberg”, afirma o editorial se referindo a uma campanha publicitária veiculada pelo SindSaúde no painel. A peça publicitária que foi ao ar em 16 de maio foi feita pelos representantes dos trabalhadores da saúde pública do DF e critica o caos na gestão da saúde pública em todo o DF. Uma semana depois o Grupo Metrópoles foi notificado pela Agência de Fiscalização do DF (AGEFIS) para desligar o painel.      

Para disfarçar a ação a AGEFIS, sob ordens de Rollemberg, fez a retirada de painéis publicitários próximos, que estão em atividade há mais de 20 anos. 

Ao término do editorial, o portal “vaia” Rollemberg pela tentativa em restringir o veículo na retirada do painel eletrônico.

redacao@justicaemfoco.com.br