Vídeos

Sérgio Moro destaca em vídeo que o combate  à corrupção é fundamental

Juiz Sérgio Moro Juiz Sérgio Moro
Por Carla Castro e Mário Benisti | Redação Justiça Em Foco - domingo, 22 de abril de 2018
 

Em um vídeo de aproximadamente 03 minutos postado na última semana na internet, o juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Criminal Federal de Curitiba, fez uma analogia histórica sobre o combate à corrupção. 


No conteúdo, Moro lê trechos do discurso feito pelo ex-presidente dos Estados Unidos Theodore Roosevelt feito ao Congresso Nacional Norte-Americano, em 07 de dezembro de 1903, em que trata sobre a corrupção e na opinião do juiz brasileiro, o então “presidente dos Estados Unidos foi eloquente em todo o seu pronunciamento”. 


O juiz destacou tópicos principais do texto para leitura. Um dos pontos citados por Moro foi a seguinte parte: “Não existe crime mais sério do que a corrupção! Outras ofensas violam uma Lei enquanto a corrupção ataca as fundações de todas as leis”, recitou o juiz federal. 


Em outro ponto, Moro ressalta que a ação de corrupto é pior do que a de um ladrão, ou um assassino. “Não existe ofensa mais grave do que a daquele do qual é depositada tão sagrada confiança, que a vende para o seu próprio ganho de enriquecimento. E não menos grave é a ofensa do pagador de propinas. É pior que o ladrão, porque o ladrão rouba o indivíduo enquanto que o agente corrupto saqueia uma cidade inteira ou estado. Ele é tão maligno quanto o assassino, porque o assassino pode somente tomar uma vida contra a lei enquanto o agente corrupto e a pessoa que o corrompe miram de forma semelhante o assassinato da própria comunidade”, narra o juiz de Curitiba. 


Moro parafraseou em conjunto uma frase de Abraham Lincoln, também ex-presidente dos Estados Unidos. “O governo é do povo, pelo povo e para o povo irá perecer na face da terra se a corrupção for tolerada. Os beneficiários e os pagadores de propinas possuem uma malévola preeminência da infâmia. A exposição e a punição da corrupção pública são uma honra para uma nação, não uma desgraça. Nenhuma cidade ou estado, muito menos a nação, pode ser ofendida pela aplicação da lei. Se nós falharmos em dar tudo o que temos para expulsar a corrupção, nós não poderemos escapar de nossa parcela de responsabilidade”.


Ao término, o juiz ressaltou que “o primeiro requisito para um alto governo bem-sucedido é a aplicação da lei, sem vacilo. E consequentemente, a eliminação da corrupção”, finalizou Sérgio Moro.