Prefeito de Caracas foge de prisão e sai da Venezuela, diz imprensa local

Da redação (Justiça em Foco), com EBC. - sexta, 17 de novembro de 2017
 

O prefeito da região metropolitana de Caracas, Antonio Ledezma, fugiu da prisão domiciliar em que se encontrava desde 2015 e deixou a Venezuela, informou nesta sexta-feira (17) a imprensa local.

O jornal venezuelano El Nacional afirmou, em seu site, que o opositor, fundador do partido Aliança Bravo Povo (ABP), "escapou na madrugada desta sexta-feira pela fronteira para a Colômbia" e "teria como destino final um país europeu".

O jornal acrescentou que vários funcionários do Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sebin), a corporação que vigia a residência de Ledezma há dois anos, se encontram nos arredores da casa do opositor.

Ledezma, que foi detido em 19 de fevereiro de 2015 e enviado à prisão militar de Ramo Verde, foi levado à sua casa por razões de saúde dois meses depois, onde tem sido mantido preso e impossibilitado de se expressar publicamente.

O prefeito foi acusado dos crimes de conspiração e formação de quadrilha pelo Ministério Público, mas nunca foi julgado.

Além disso, foi suspenso do seu cargo como prefeito da região metropolitana de Caracas, o posto de maior peso político no país depois da presidência da República.

O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, reagiu à notícia em sua conta no Twitter. "Minha saudação a Antonio Ledezma, referência moral da Venezuela, agora livre para liderar a luta no exílio para a instauração do sistema democrático em seu país", escreveu o uruguaio na rede social.