Justiça em Foco

TSE certificará investigadores que participarem do Teste Público de Segurança

Poder Judiciário

Terça-Feira, Dia 22 de Agosto de 2017

Nos dias 28 a 30 de setembro,  especialistas em tecnologia da informação participarão, na sede do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), da 4ª edição do Teste Público de Segurança (TPS) do sistema eletrônico de votação, que será utilizado para as Eleições de 2018.
O Teste Público de Segurança, que acontece desde 2009, tem por objetivo fortalecer a confiabilidade, a transparência e a segurança da captação e da apuração dos votos, além de propiciar melhorias no processo eleitoral.
Essa edição traz alguns diferenciais, como a assinatura do código-fonte durante a primeira inspeção – garantindo a inalterabilidade até a execução dos testes pelos investigadores – e a entrega do certificado ao final do último dia do teste.
O Brasil é o primeiro e o único país no mundo que faz teste semelhante, abrindo os sistemas eleitorais para que investigadores ou hackers tentem quebrar as barreiras de segurança do processo. “É o resultado do nível de maturidade atingido nos mais de 20 anos de experiência de utilização de um processo eleitoral informatizado”, destaca o secretário de Tecnologia de Eleições do TSE, Giuseppe Janino.
Evolução dos testes
Já foram realizadas três edições do TPS. Em 2009, o teste recebeu cinco inscrições de grupos de investigadores e duas individuais. Em 2012, foram seis grupos e três individuais. Em 2016, quatro grupos e apenas uma inscrição individual.
De acordo com Giuseppe, mantendo-se a média das últimas edições, estima-se a participação de sete investigadores, seja individual, seja em grupo. “A expectativa é fortalecer um processo democrático e transparente de contribuição da sociedade para melhoria e  aprimoramento do sistema informatizado de votação brasileira”, afirma.
O secretário de Tecnologia de Eleições do TSE enfatiza que os investigadores têm contribuído para a melhoria dos sistemas eleitorais, pois, a cada edição, as sugestões e os achados são submetidos às equipes responsáveis pelo desenvolvimento para aprimoramento do produto.
Durante o TPS, os softwares e o hardware da urna eletrônica são disponibilizados ao público para serem alvos de ataques de segurança quanto à integridade e ao sigilo do voto. Apesar de alguns planos de testes terem obtido sucesso, a segurança do processo de votação brasileiro não foi comprometida.
Inscrições
Os interessados em participar doTeste Público de Segurança (TPS) do sistema eletrônico de votação podem se inscrever pelo hotsite do evento, até o dia 10 de setembro. Esse teste constitui parte do ciclo de desenvolvimento dos sistemas eleitorais de votação, apuração, transmissão e recebimento de arquivos.
Durante o TPS, os investigadores inscritos apresentam e executam planos de ataque aos componentes externos e internos da urna eletrônica. A segurança do sistema eletrônico de votação é feita em camadas. Por meio de dispositivos de segurança de tipos e com finalidades diferentes, são criadas diversas barreiras que, em conjunto, não permitem que o sistema seja violado. Qualquer ataque causa um efeito dominó, e a urna eletrônica trava, não sendo possível gerar resultados válidos.

Fonte: Da redação (Justiça em Foco), com TSE.
Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro


Poder Judiciário


Indique a um amigo
Imprimir notícia 
Últimas Notícias

Outras Notícias Clique Aqui