Fim do exame da OAB deve ser votado na Câmara com três votos a favor para um contra, prevê deputado

15/06/2012

Fim do exame da OAB deve ser votado na Câmara com três votos a favor para um contra, prevê deputado


OAB & Cia

Brasília - O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que é constitucional a exigência do exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), previsto na Lei 8.906/94 – o chamado Estatuto da Advocacia. A decisão aconteceu no julgamento do Recurso Extraordinário (RE) 603583, realizado em 26 de outubro de 2011.

 

 

O julgamento da Suprema Corte, no entanto, não convenceu o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que apresentou o projeto de Lei nº 2154/2011, que se aprovado revoga o inciso IV e § 1º do art. 8º da Lei nº 8.906, de 04 de julho de 1994, - Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Assim, milhares de bacharéis poderão advogar sem exigência de exame de ordem, atualmente regulamentado em provimento do Conselho Federal da OAB.

 

 

Para o deputado, o exame de ordem é uma forma de reserva de mercado e, é uma aviltação enorme a todo cidadão que se gradua em Direito e não pode trabalhar.

 

 

Eduardo Cunha deu uma entrevista ao site Justiça em Foco onde fala sobre o projeto para acabar com o exame da OAB:

 

 

 

Justiça em Foco (Editor/Ronaldo Nóbrega Medeiros:  O senhor é autor do Projeto de Lei nº 2154/2011, cujo objetivo é acabar com o Exame de Ordem. Por que isso, o que está errado na manutenção da exigência do exame da Ordem para autorizar o trabalho dos advogados no Brasil?

 

 

Eduardo Cunha: O que está errado é que não tem sentido a única profissão que depende de exame de conselho de classe para ser exercida é a de advogado. Será que as outras profissões são menos importantes? Por que arquitetos, engenheiros e médicos, por exemplo, não tem essa obrigação? Isso é um privilégio inaceitável de um conselho de classe que se acha acima do sistema de ensino do país.

 

 

Justiça em Foco: Sabemos que a Constituição dispõe que o exercício profissional é livre, mas que, a lei pode impor condições à atuação dos profissionais. Isso, não é o que o Estatuto da Advocacia faz ao regular o Exame de Ordem no Brasil?

 

 

Eduardo Cunha: Não podemos permitir leis que sejam injustas e contenham privilégios como esse, daí a proposta.

 

 

Justiça em Foco: Então o Exame é abusivo, é apenas uma fonte de arrecadação para os cofres da OAB?

 

 

 

Eduardo Cunha: O exame é abusivo sim e fonte de arrecadação e discriminação contra profissionais que se formaram segundo a legislação do país e o sistema de ensino existente, regulamentado e fiscalizado pelo governo.

 

 

Justiça em Foco: Como pretendem enfrentar a imensa frente de parlamentares, que defende OAB, donos de cursinhos e editoras? E os selos de qualidade a cursos de Direito?

 

 

Eduardo Cunha: Em primeiro lugar, conferir selo de qualidade é uma coisa, outra é impedir o livre exercício da profissão. Outra coisa é discutível: uma instituição corporativista comandada por uma pessoa como Ophir ter capacidade de conferir qualidade. Desconheço essa frente, o que sei é que recebo manifestações de apoio, que a maioria absoluta dos líderes assinaram requerimento de urgência e tenho certeza, pela minha experiência, que passará em plenário com folga, e diria na razão de três votos a favor para um contra.

 

 

Justiça em Foco: Para o senhor a alta taxa de reprovação da OAB, é uma mentira que o ensino jurídico do país está ruim?

 

 

Eduardo Cunha: A alta taxa de reprovação da OAB mostra o absurdo do exame e dos seus objetivos de arrecadação e de reserva de mercado.

 

 

Justiça em Foco:  O presidente do Conselho Federal da OAB, Ophir Cavalcante, fez uma dura crítica, na posse do ministro Ayres Britto na Presidência do Supremo Tribunal Federal, chegou a afirmar que o Congresso é um pântano. Qual sua opinião como congressista?

 

 

Eduardo Cunha: O Ophir representa bem o pântano que falou e infelizmente colocou a OAB no seu pântano.

 

 

Justiça em Foco: Há previsão para a votação do projeto?

 

 

Eduardo Cunha: O projeto será votado na Câmara talvez antes do recesso de julho, basta a pauta de mês destrancar, e acho que terminará todo o processo legislativo, assim como o projeto das eleições diretas na OAB, antes da eleição do próximo presidente da Ordem, para que o Ophir tenha esse legado no seu pântano.

 

 

 

 

 

 

----------------------------------------------------------------------------

Artigo bombástico de Júnior Gurgel, coloca OAB e suas Seccionais em posição

suspeita em escândalo de 30 milhões

 

----------------------------------------------------------------------------

PF dá sequência à apuração de fraudes no seguro DPVAT, e descobre

integrante que obteve indevidamente inscrição na OAB

 




  Fonte: por Ronaldo Nóbrega Medeiros - Site: www.justicaemfoco.com.br

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

  Anuncie aqui

Comentar notícia Indique a um amigo Imprimir notícia 

>> Últimos comentários
Nome: Elias
Comentário: Esta iniciativa é digna de ser aplaudida, haja vista as constantes aberrações jurídicas que temos conhecimento através da mídia acerca dos causídicos de plantão! Não estou aqui arrolando ou colocando todos em uma vala comum pois temos excelentes advogados no nosso país. Quero dizer que não é o simples fato do bacharel em direito que se submeteu ao exame de ordem e tenha logrado êxito, será um profissional capacitado p/ exercer a profissão com a devida desídia, técnica e competência que a função requer. Outra forma é de se verificar que, embora o "guardião" da Constituição da República tenha julgado pela constitucionalidade de tal exame, o mesmo tem o condão de ofender a Princípios basilares estatuídos no corpo da própria Carta Magna ou Constituição como alguns gostam pela fato de ser promulgada. O que falar dos antigos rábulas que detinham um conhecimento afinado do Direito e eram de suma importância na vida diária dos fóruns, escritórios de advocacia e secretarias do nosso Brasil? Uma prova não tem esta capacidade de auferir conhecimento que o profissional necessita possuir no dia-a-dia. Uma petição, dependendo da complexidade do caso, pode levar dias para ser elaborada e distribuída. Como pode então o examinando em cinco horas responder a tais quesitos e elaborar uma inicial como se exige na 2ª. fase do exame? O que se espera de uma nação Democrática é que efetivamente os direitos sejam realmente iguais para todos, ou seja, se o exame prosperar para os bacharéis em direito, que todas as outras classes venham a se sucumbir ao exame de proficiência de sua área

Nome: Deyse Abreu
Comentário: Parabéns ao deputado Eduardo Cunha, e tenho certeza que lograremos êxito essa semana....Deus é pai, todo poderoso....nos ajuda...

Nome: Eduardo
Comentário: Minha opinião: há diversas coisas a serem analisadas: 1. Sou a favor do exame de ordem. 2. Nos moldes de hoje, por uma questão de justiça e igualdade, todos os advogados, anteriores a 1994 (se não me engano na data), deveriam fazer o exame atual, até para atualização. Os estágios de hoje são muito melhores do que aqueles que habilitavam o exercício da profissão até então. 3. Deveria ser feito por entidade fora da OAB, com elaboração e correção, obviamente, com imparcialidade. Da forma como é hoje é o mesmo que perguntar para o dono de um comércio se ele aceita que outro se instale na cidade, para ser seu concorrente. Quem vai dizer que não é e provar? 4. Pela Constituição quem fiscaliza o ensino é o MEC e não a OAB. Esta deve fiscalizar o exercício e não controlar quem pode ou não exercer a profissão. O mercado já faz a devida seleção de bons e ruins. É assim com as outras profissões. 5. A prova hoje está com imenso grau de dificuldade. E a OAB ainda fica usando do baixo índice de aprovação para dizer que os cursos são ruins e que está certa. Alguns poucos realmente são péssimos, mas não é tudo o que diz a OAB. 6. A OAB pensa exatamente assim, não está preocupada com a qualidade de quem entra, mas com a quantidade. Por isso todo este círculo vicioso e malicioso. Se assim não fosse por que um trabalho tão grande de bastidores no Congresso? 7. Sem contar a proliferação de cursos preparatórios e o quanto isso rende, com certeza muitos lucros. 8. Assim há hoje um grupo fechado, com apoio até do judiciário e manipulação da opinião pública, que faz reserva de mercado e controla a porta de entrada, na mais completa ilegalidade. Ilegalidade esta, institucionalizada. 9. Será que o custo, per capta, de candidato para o exame custa mais que R$ 50,00? Para onde vai a diferença? Conta simples: Custo individual de R$ 200,00 x 120.000 candidatos x 3 vezes por ano, é igual a R$ 72.000.000,00. Isso mesmo, setenta e dois milhões de receita ano em média, podendo ser mais. 10. Será que alguém já parou para pensar na situação psicológica dos coitados dos graduados em direito que são constantemente expostos com o estigma de incompetentes perante seus familiares e a sociedade? 11. Há muita coisa errada por trás desta história e está na hora mesmo de o Congresso fazer algo. Espero que seja algo digno e justo.

Nome: Luiz Sucenakao
Comentário: está passando da hora de tirar esses mercenários, aproveitadores da miséria dos outros, com esse absurdo exame da ordem .

Nome: Samantha
Comentário: Então, decorar vários códigos e se lançar a própria sorte é uma forma de mensurar conhecimento? Decorar o código durante vários dias para prestar o exame da OAB e depois esquecê-lo é uma qualificãção profissional para vocês? covenhamos colegas, vocês sabem que não.

Nome: Samantha
Comentário: É exatemente este tipo de atitude que acontece no Brasil inteiro. A memorização e a malícia na resolução das questões ficam acima do que realmente deveria ser qualificação profissional.

Nome: Samantha
Comentário: Não é utopia pulverizar injustiças cometidas por uma prova que tem como resultado, reprovação em massa.Não é educado de sua parte subestimar as pessoas pelo fato de ter logrado sucesso no exame e humilhar aos que não conseguiram

Nome: Luciano
Comentário: Começo dizendo .....Conflitos de interesses. Todos nós sabemos que tem muita coisa por trás do exame de ordem, a OAB arrecadaria menos, mas não deixaria de arrecadar com as anuidades, os cursinhos perderiam uma fatia desse bolo, ficariam apenas com cursos de concursos. Os advogados acham que daria um boom na profissão e os felizes bacharéis que não conseguiram aprovação. Trabalhei em um grande escritório jurídico em São Paulo e já vi em currículos ( não foi em apenas um ) pretensão salarial de R$ 800,00 reais para um advogado. Assim, questiono vocês nobres colegas é o Exame que vai desvalorizar a profissão ou o próprio advogado que esta desvalorizando-a ? Um exemplo banal, há uma padaria em cada esquina, todas são a mesma ? não; quando você quer comprar cigarro pouco importa em qual vai,( cigarro é tudo igual) certo ? sim; mas quando quer um pão doce gostoso, em qual iriam ? Na melhor. Todos fariam isso. Então porque o medo de mais um concorrente no mercado ? só se você não é bom no que faz. Quem é a favor do exame só pensa em si próprio, somente no seu interesse. O melhor a fazer no meu ponto de vista é tirar o monopólio da OAB de escolher quem entra e quem esta fora, Todos sabem da subjetividade de correção da segunda fase, e inserir o estagio residente. Estagio efetivo e obrigatório, não esse boy de luxo que sabemos como que é. Sem mais considerações, fica apenas a minha humilde opinião.

Nome: Hugo Cesar
Comentário: Faço minhas as palavras do Marcos Pereira Pimenta Rocha (ADV). Disse tudo!

Nome: Zenaide Gonçalves de Assis
Comentário: Espero que os nobres deputados façam justiça votando o projeto de lei 2154/2011, e outros mais que tamitam na câmara. No Pânto quem vive é o Sr. Ophir e a sua cúpula (Pântano do dinheiro suado dos bacharéis em direito). Isso sim, é um Patano da corrupção ativa, mais de forma ilícita como nunca vista antes do ano de 1994. Ilicitude assinada pelo ex-e saudoso Presidente da Repúclica "ITAMAR FRANCO". De onde ele estiver, deve estar muito arrependido do pecado capital que cometeu aqui na Terra.

Nome: André Lima
Comentário: Em primeiro lugar creio muito em Deus, e agradeço a iniciativa e a coragem do deputado DR. EDUARDO CUNHA por ter a coragem de enfrentar esse pantaneiro chamado CAVALCANTE. Gente, se a OAB quer tanto dinheiro por que ela após os Bacharéis terminarem o curso poderiam fazer um curso de reciclagem e dar a carteira para os advogados. Gente, existe um número nessa carteira, que quem fizer besteira, aí sim, a OAB tem que fiscalizar e não ficar impedindo que os bacharéis trabalhem. "DEUS É FIEL"

Nome: Marcos Pereira Pimenta Rocha (ADV)
Comentário: EXAME DE ORDEM? Uma vergonha, a onde o profissional vai adquirir experiência profissional! O médico, na residência hospitalar, o engenheiro, o arquiteto em canteiros de obras, os economistas, administradores e outras profissões, obviamente no exercício de suas atividades. O Julgado do RE 603583, violou o Preceito Fundamental estatuído nos artigos 1, 3 e 5, XIII e XX, donde: " todo poder emana DIRETAMENTE do povo", "construir uma sociedade livre, justa e solidária", Garantir o desenvolvimento nacional", "erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais", "é livre o exercício de qualquer trabalho, oficio ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer" e " ninguém poderá ser compelido a associar-se ou permanecer associado". Neste sentido, os Preceitos Fundamentais retro citados, asseguram a qualquer bacharel em direito o reconhecimento e consequente diplomação e outorga pelo Estado Brasileiro (MEC), vide art. 205 e seguintes da Constituição Federal. Então cabe ao RECLAMAMTE e aos TERCEIROS INTERESSADOS (qualquer bacharel) prejudicado, nos termos do art. 102, "j" da Constituição c/c o art. 487, inciso II do Código de Processo Civil, por serem terceiros juridicamente interessados na construção de um Estado Democrático de Direito e que busca a Garantia dos Preceitos Fundamentais usurpados pelo STF não RE retro citados 1º; 3º; 5º; 18, § 3º, todos da Constituição Federal originária de 1988. Diante disso, cabe a AÇÃO RESCISÓRIA desta sentença vexatória. Há de se observar que o artigo 26 da Lei nº 9.868/99 ´que torna IRRECORRÍVEL: "A decisão que declara a constitucionalidade ou a inconstitucionalidade da lei ou do ato normativo em ação direta ou em ação declaratória". Vê-se ai que este artigo 26 É INCONSTITUCIONAL por ser sancionado e promulgado por via de uma Lei Ordinária que contraria o Preceito Fundamental estabelecido no artigo 102, "J" da CF. VILIPENDIADO os DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS. PRIVANDO de seus direitos por motivos políticos (VIII); do direito de petição aos Poderes Públicos em defesa de direitos ou contra ilegalidade ou abuso de poder (XXXIV, a); EXCLUINDO-O da apreciação de seus direitos junto ao Poder Judiciário (XXXV); PREJUDICANDO seus direitos adquiridos e ato jurídico perfeito(XXXVI); FAZENDO DO STF TRIBUNAL DE EXCEÇÃO(XXXVII); vedando a PLENITUDE DA DEFESA(XXXVIII, a); vedando aos litigantes o CONTRADITÓRIO E AMPLA DEFESA, com os meios e recursos a ela inerentes(LV); VEDANDO que as normas definidoras dos direitos e garantias fundamentais têm aplicação imediata(§ 1º). Enfim, CERCEAMENTO DE QUALQUER TIPO DE DEFESA. Há de se fazer alguma coisa para não se permitir este tipo de arbitrariedade cometido pelo CONSELHO FEDERAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL. Desde já me disponho dativamente a contribuir no patrocínio desta Ação Rescisória, antes que extinga seu prazo que é de 2(dois) anos. Portanto tem cabimento e é tempestiva, visto que não decorreu o prazo estipulado pelo art. 495 do CPC. Marcos Pereira Pimenta Rocha - OAB/DF 10.320. E-mail: mpradv@gmail.com

Nome: Calazans
Comentário: Também concordo com as palavras do Deputado, pois esse exame não passa de uma arbitrariedade de uma instituição rótula de dona da moralidade que não tem limites para impor critérios e parâmetros de avaliação... é preciso mudar esse sistema e reconduzir a ordem para o seu lugar... Deputado você tem o meu apoio e de milhares de bacharéis e famílias desse nosso Brasil varonil...

Nome: PAULO BRITO
Comentário: A exigibilidade do exme da OAB realmente precisa ser avaliada em conjunto com outras atividades, exemplo MEDICINA, que lida com vidas humanas, não prestam qualquer exame, se fazem residência, os bacharéis em direito fazem prática nos escritórios modelos. Ou findar o exame da OAB ou exigir o mesmo de outras áreas, precisamos de igualdade, que país é este?

Nome: Euclides
Comentário: Concordo com o deputado, isto é um desrespeito a todos os cursos de Direito do País, esta prova não mede a capacidade do profissional durante o exercício da profissão, se é pra melhorar o nível da advocacia no Brasil, aumente a fiscalização nas universidades para uma melhor formação dos nossos bachareis.

Nome: Elizabeth Brandão
Comentário: Está de parabéns senhor Deputado em fazer esse projeto e espero que realmente seja aprovado para acabar de vez com esse comercio chamado exame de ordem. falam tanto dessa prova, está muito errado, por que não é de graça, já que preservam tanto pela sabeoria dos concluintes cobram pela inscrição e caríssimo. Uma pessoa mais pobre não pode pagar um curso pra se habilitar a fazer a prova nem sequer a propria inscrição. Além do mais, não mede conhecimento de ninguém e outra coisa, qualquer concurso existe um programa de estudo, aponta as matérias e assuntos a serem estudado. E a OAB o concluinte se baseia em que temas para estudo? É uma forma de proibir o exercício da profissão mesmo. E tem mais, o Bel que não passa na OAB ele não é nada, não pode trabalhar em nada, não é advogado, não pode ser estagiário porque ja se formou e vai fazer o que da vida? Trabalhar não pode. Esse é o nosso País. Advogados que errarem em alguma coisa respondam pelos seus erros e não serem proibidos de serem advogados porque depende passar numa prova. A faculdade maior é a davida e essa eles ja passaram, entraram e sairam do curso.

Nome: Pablo
Comentário: Quero parabenizar o nobre Dep. Eduardo Cunha pela grande iniciativa de lutar pela causa dos bachareis. Temos que mostrar a sociedae brasileira que não é um exame que qualifica. Vamos juntos para a vitoria. Pelo fim do exame.

Nome: Sandro Heleno Pereira
Comentário: Só queremos trabalhar temos familia pra sustentar, estamos cansados e sendo explorados nos escritórios ganhando micharia, tudo por conta de duas provas cheias de peguinhas que em nada contribui para o povo brasileiro a não ser os cofres da instituição.

Nome: Zoroastro Moysés
Comentário: Eu concordo em genero, numero e grau com os comentarios do deputado Eduardo Cunha, o que a OAB faz é puro lobby de mercado. É muito simples entender, peça para bachareis que foram aprovados recentemente no dito exame, ou mesmo para advogados que militam a tempo na area, que se submetam a uma novo exame para que vejamos se serão aprovados. E mais, Ophir diz que o exame é pra proteger os cidadãos, gostaria de pergutar a ele se os milhares de bacharéis assim como eu q estão desempregados não são cidadãos tambem. Obrigao pelo espaço abraço a todos Moysés.

Nome: Reinildes Pereira
Comentário: Até que enfim existe alguém que olha por nós, Bachareis em Direito, a OAB virou fonte de arrecadação pura e simplesmente, passei até fome para poder pagar a faculdade e hoje não posso exercer a profissão que tanto sonhei, pois tenho que fazer prova da ordem, fiz o último exame e na frente da faculdade onde estava sendo aplicada a prova, havia uma festa rave, e ninguém fez nada, aquela música no último volume, não nos permitindo nem pensar, quanto mais nos concentrarmos, pois claro o único interesse é que todos os inscritos no exame já haviam pago R$ 200,00 cada um, é uma pena que depois de enfrentarmos todas as dificuldades para fazermos uma faculdade, ainda sejamos tão desrespeitados nos nossos direitos e ainda pagar para fazer uma prova absurda como essa, não é em uma prova que se prova a capacidade, a moralidade, dignidade, capacidade civil, honestidade, pois se ninguém nos der uma oportunidade de trabalho, nunca teremos experiência para atuar.

Nome: Hosanildo Diógenes
Comentário: Gostaria de parabenizar a iniciativa do Deputado Eduardo Costa pela coragem de lutar por milhões de Bacharéis que estão impedidos de trabalhar, por uma imposição inconstitucional de um órgão representante da categoria, que em vez de lutar pelo mercado de trabalho dos mesmo, ao contrário, os impede. A OAB deveria se ocupar com atividades que é da sua competência e não querer assumir função que a Constituição não lhe delegou. Graças a Deus que a nossa voz está sendo bem representada, na defesa dos nossos direitos, prevalecendo o Estado Democrático de Direito com o cumprimento da Carta Magna desse país, a quem todos devem subserviência. Até a OAB. Os Bacharéis em Direito, Os Seus Familiares e a Sociedade de um modo geral, agradecem pela sua gloriosa atitude de cair em defesa daqueles que só querem trabalhar e, para isso se qualificaram em Instituições de Ensino Superior que o MEC as qualificaram como competentes para tal função. Parabéns! Deputado. Hosanildo Diógenes.

Nome: Ronaldo C. Silva
Comentário: Realmente estamos diante de inúmeras irregularidade por parte da oab,mec e instituições de ensino. E o exame de ordem é uma vergunha nos nas condições atuais, e pior é exigir de um acadêmico um conhecimento total de todo mundo científico e jurídico ser cobrado em apenas poucas horas não ter validade quando aprovado em 1ª fase tendo que ao invés de se preparar apenas para 2ª, repetir toda a tortura.

Nome: marilene sousa dos santos
Comentário: Bom dia Deputado Eduardo Cunha, quero lhe parabenizar pelo seu desempenho em favor dos bacharéis em Direito, concordo plenamente com sua atitude, pois, isso é uma verdadeira mina de dinheiro, sendo que nem a OAB sabe mais o que faz com tanto dinheiro. Isso não é justo com todos nós, sendo que não é facil conseguir dinheiro para pagar essa inscrição e depois ficar na mão deles. Torço pelo seu projeto ser votado para o fim do exame, aguardo resposta muito em breve e o senhor será vitorioso junto com todos nós que somos bacharéis em direito.

Nome: Daniel Dallacort
Comentário: Estou pasmo com os comentários contra o Exame!!! Passei a pouco tempo no "famigerado" teste como dizem, mas a meu ver o que falta a essa imensa massa é DESPREPARO. Isso posso falar por conta própria, estudei e me dediquei e para tanto logrei exito com uma nota muito expressiva. É facil jogar a culpa no outros pelo insucesso. Então parem de reclamar e vão estudar. O fim do Exame da Ordem é uma Utopia.

Nome: Ivan Malta
Comentário: Não sou contra o exame, sou contra no que se transformou o propósito dele, que não é mais de demonstrar o conhecimento acadêmico ou prático com estágio que o aluno adquire ao longo do curso, e sim, de criar uma nova modalidade de arrecadação aos cofres da OAB.

Nome: Oduvaldo Gama
Comentário: Parabéns ao Deputado Eduardo Cunha pela iniciativa e oxalá, todos os congressistas votem pela extinção do famigerado exame. Como bem apontou o Deputado, a lei 8906 foi feita para atender interesses da OAB e precisa ser revogada, pois, além de ferir a LDB, concede privilégios ilegais à esse Conselho.

Nome: Eduardo
Comentário: Parem de chorar e vão estudar...k

Nome: ELIANA
Comentário: Realmente o exame é abusivo, é apenas uma fonte de arrecadação para os cofres da OAB

Nome: Marcio Wellington Moura Oliveira
Comentário: Essa "Famigerada prova", que não prova nada a não ser provar que enche os cofres daqueles que comandam tipo; OAB/FGV donos de Cursinhos, etc, tem jogado no ostracismo, varios profissionais do curso de Direito (Bachareis) que lutam para exercer a profissão dignamente. O projeto do Dep. Eduardo Cunha, 2154/11, vem dar um alento a esses profissionais. Com relação a Ophir Cavalcante, ele é o verdadeiro "pantano" que destroi a vida de varias familias de Bachareis que tentam de forma honesta trabalhar e ganhar o seu sustento. Essa imoralidade de prova, é um verdaeiro atentado ao artigo 5º inciso XIII da CF/88; só não vê quem se beneficia dos R$.75.000.000,00 arrecadados. Parabéns ao Dep. Eduardo Cunha pela iniciativa, e pode contar com a nossa disponibildade para divulgar o seu projeto.Att. Márcio Moura.

Nome: Gilvan
Comentário: O Comentario que tenho que deixar aqui é que a OAB se acha tão acima do bem e do mal que criou uma qualificação pra ela chamada SUEGENERIS, não imposto nenhum, nem dá satisfação de nada a ninguem, dar pra entender um negocio destes? um abraço e o senhor

Nome: Aminadab Nobre
Comentário: Esperamos que a câmara de deputados CORRIJA de vez a OMISSÃO que o MEC comete em NÃO fazer valer a LDB de 1996, e promova de vez a extinção dessa DITADURA que custa aos bacharéis a BAGATELA de 72MI por ano, onde só quem LUCRA são os MERCENÁRIOS LOBISTAS junto ao congresso nacional, os DONOS DE CURSINHOS e os DONOS da OAB, ESSA É A VERDADE REAL. Precisamos criar de fato a tal (IGUALDADE contida no art. 5º da CFRB) para que os jovens possam TRABALHAR e desenvolver os seus sonhos! Se assim, não for os MERCENÁRIOS estão "RASGANDO" o artigo 5º da CFRB, estão "RASGANDO" o artigo 5º, XIII e outros da CFRB, na qualidade de Pai de bacharel espero que a CÃMARA de DEPUTADOS faça a mais LÍDIMA JUSTIÇA ao preceitos CONSTITUCIONAIS. E desejamos sucesso ao deputado Eduardo Cunha nessa futura VOTAÇÃO ao seu VALOROSO PROJETO a favor do ESTADO DEMOCRÁTICO de DIREITO e dos jovens cidadãos dessa Nação! Aminadab Nobre

Nome: Lázaro Ramos
Comentário: Ophir Cavalcante ja perdeu esta e a reeleição se depender de mim

Nome: Godinho de Osório/RS
Comentário: A luz no final do túnel não é um trem e sim a esperança alavancando nossos ideais republicanos no parlamento, esperança esta que tem nome e número, Eduardo Cunha e o n° é 2154/11! Deus nos guie!

Nome: Bel. Dr. Julio Velho
Comentário: Os excrementos exames de ordem querem desqualificar o governo brasileiro - O Mec, a CF/88 e a Lei Complementar Federal – LDB. Quem quer defende-los, então nos demonstre juridicamente, mas não ameacem os bacharéis que estão em conformidade com as leis nacionais. Bacharéis, que lutam pelo fim dessa excrescência, desse deserviço que estes exames são, usam a nomenclatura de exames de ordem. Banalização, criminosa, é o que estes exames vêm fazendo com essa profissão de advogado, ao usar uma instituição, que provia de alto conceito nacional, e por causa da ganância de um pequeno grupo que quer, enriquecer ilicitamente, ao se locupletar com a usurpação dos direitos dos cidadãos que querem os seus direitos constitucionais de exercerem o digno direito de trabalhar como profissionais liberais, que são. Autorizados pelo Estado brasileiro. A OAB na é ente ligado a administração direta do governo, isso quem esclarece é a ADIN 3026 da Suprema corte do Brasil. Agora, se você não concorda com as nossas leis e com a Suprema corte, reclame para eles. Fazer comentários, irresponsáveis e ofensivo, que não sejam fundamentados em leis, não é o melhor caminho para melhorar a qualificação dos bons Doutores formandos e graduados em Direito. Quanto, as suas opiniões guarde-as para vocês! Quando, comento sobre os canalhas, me refiro aos que não querem respeitar as nossas Leis e a nossa Carta Magna, ao defenderem as excrescências dos exames de ordem, o que é, uma afronta a Constituição e as nossas Leis Federais do Brasil. Friso.

Nome: Jaime Mascarenhas (Buriti de goiás-go)
Comentário: Parabéns nobre Deputado pela entrevista, que Deus abençôe a sua tragetória e esse brilhante trabalho em prol dos bachareis em Direito de todo Brasil, que são tantos e seus familiares desamparados por essa gana e corrupção desvendada a cada dia no noticiário brasileiro e com certeza seu sucesso será do povo de Deus, honesto e trabalhador como somos. Junto aos bacharéis em ação

Nome: Norma Sylvia
Comentário: Não vejo a hora da pauta do plenário da Câmara Federal ser destrancada para a votação histórica do PL 2154_2011 de autoria do Deputado Eduardo Cunha/RJ, esse guerreiro que, sem medo, enfrenta o 4º Poder no Brasil, a OAB, para dizer que o parlamento brasileiro tem a função de legislar e irá corrigir a injustiça perpetrada pela Lei 8906/1994, artigo 8º, IV e parágrafo 1º, pondo fim ao exame de ordem, reserva de mercado que não permite ao bacharel em direito trabalhar. Vai ser uma goleada. OAB "cursinhos", arranjem logo outra fonte de arrecadação e larguem o bolso dos bacharéis.

Nome: André Souza
Comentário: OAB que de Graças a Deus se o congresso acabar com essa falácia Burgues , caso o congresso nao derrube a OAB vai enfrentar verdadeiros cangaceiros ,como fez lampião no Sertão nossa agua desta vez será o direito de trabalho.

Nome: Mariane A.C. Mariz - Lisboa
Comentário: A OAB vai jogar todas as suas fichas, para impedir esse projeto. A nossa ORDEM no Brasil é um dragão e isso é inevitável.

Nome: Alex Alves
Comentário: Entrevista fantástica, e esclarecedora , parabéns ao site e ao nobre Deputado Eduardo Cunha

Nome: Diego Lima - Natal
Comentário: Deputado, esse projeto tem um significado bastante importante no processo de democratização, real intenção de ambas as partes, digo o povo e o judiciário. Viva os bacharéis e seus familiares!

Nome: Vera Lins - SP
Comentário: Parabéns pela entrevista, Deus abençoe seu trabalho Ronaldo e que o site continue sendo sucesso.

Nome: Carol Braz – Vitória da Conquista - Bahia.
Comentário: Parabéns pela entrevista o site tem se destacado junto aos bacharéis em ação. Obrigada, e continue nos apoiando!

 Outras notícias.
24/10/2014
MPF/SP - Há consenso de que a epsiotomia não deve ser usada indiscriminadamente
24/10/2014
Projeto Fábrica Verde recebe prêmio internacional
24/10/2014
Ministério Público consegue bloqueio de bens de mais pessoas envolvidas no caso Telexfree
24/10/2014
Dilma classifica reportagem da Veja de "terrorismo eleitoral"
24/10/2014
PSDB pede investigação contra Lula e Dilma à Procuradoria-Geral da República
24/10/2014
Roraima entrega maioria das urnas para comunidades indígenas e ribeirinhas
24/10/2014
Ministro Noronha participa de evento para capacitar magistrados formadores
24/10/2014
Defensoria Pública do RJ inaugura mais uma coordenação para mediação de conflitos
24/10/2014
Barros Levanhegen diz que decisões do TST não são protecionistas
24/10/2014
PT pede inquérito para apurar vazamento de informações pela revista Veja
Publicidade

comercial@justicaemfoco.com.br
Twitter Justiça em Foco Facebook - Justiça em Foco RSS RSS no seu IGoogle